segunda-feira, 18 de julho de 2016

América de Recife vence Galícia e se classifica na Série D

O último fim de semana me reservou mais uma viagem. Dessa vez, o meu destino foi o Estádio Ademir Cunha, na cidade pernambucana de Paulista, na Grande Recife, onde ocorreria um jogo entre duas equipes simplesmente geniais: América de Recife e Galícia. De um lado, o Mequinha, dono da casa, é uma das equipes mais tradicionais de Pernambuco e levantou por seis vezes a taça estadual na primeira metade do século passado, a última delas em 1944. O Granadeiro, que nos anos 30 e 40 dividia com Bahia, Ypiranga e Botafogo o status de forças do futebol baiano, tem cinco taças estaduais, a última delas conquistada em 1968. Hoje em dia as duas equipes sonham em reviver os momentos de glória, e se enfrentam pela Série D do Campeonato Brasileiro. América e Galícia integram o Grupo A7 da competição, ao lado de Globo e Sousa. Os pernambucanos chegaram a esse jogo com esperanças de seguir na disputa: precisavam vencer e, ao mesmo tempo, o Sousa não poderia bater o Globo, para que o time tentasse se classificar entre os melhores segundos colocados. Os baianos, apesar da ótima vitória contra o Globo na rodada anterior, não tinham mais chances de classificação, e só cumpriam tabela. De toda forma, seria um confronto sensacional. E ambas as equipes entraram para a minha lista pessoa, que chega, assim, a 259 clubes.
O América já perdeu uma grande chance aos dois minutos, quando Tulio girou, ficou de frente para o gol e chutou forte, para boa defesa de Gutierre. E o gol do Mequinha não demorou: aos sete minutos, Iranilson colocou o time da casa em vantagem. Aos 12 minutos, o América aumentou, em cobrança de pênalti. Fernandinho cobrou bem e fez 2 a 0 América.
Flash do primeiro tempo.
Pouco tempo depois, a arbitragem chegou a marcar um pênalti para o Galícia, mas, após consultar o auxiliar, voltou atrás. O América, com a vantagem, recuou e, com isso, o Granadeiro passou a atacar mais, chegando a perder algumas chances de diminuir a diferença.
Bola na área do Galícia: o América começou melhor, e depois recuou.
Aos 29 minutos, os refletores de um dos lados do estádio se apagaram, paralisando a partida por pouco mais de 20 minutos. Logo depois que os refletores se reacenderam e o jogo foi retomado, a arbitragem novamente marcou um pênalti para o Galícia, e dessa vez a penalidade foi confirmada. Filipe cobrou bem e diminuiu para 2 a 1.
Aos 39 minutos, João Carlos teve uma chance incrível para empatar para o Galícia: recebeu cara a cara com o goleiro americano, que fez grande defesa, mandando para escanteio. Depois disso, somente merecem destaque duas chances que o América perdeu já nos acréscimos, mas o placar final da primeira etapa foi mesmo de 2 a 1 para o América.
A segunda etapa, em seus primeiros minutos, deu a sensação de que o Mequinha iria retomar o controle do jogo, com destaque para a chance perdida por Diego Felipe já aos quatro minutos. No entanto, o que aconteceu durante a segunda etapa foram as duas equipes se alternando no domínio da partida, e perdendo boas chances para marcar. O jogo foi bem aberto nessa etapa.
Jogadores brigam pela bola.
No geral, o América foi melhor no segundo tempo, embora, como já mencionado, o Granadeiro também tenha tido boas chances de marcar. O melhor momento do Mequinha veio quando foi anunciado que o Globo estava vencendo o Sousa, resultado que era bom para o América.
América no ataque.
Com o término do jogo entre Globo e Sousa, empatado em 1 a 1, o time pernambucano precisava manter a vitória para se classificar em segundo lugar, empatado em ponto com os paraibanos, mas com um saldo de gols melhor. E o time soube segurar a vantagem, apesar de ter levado um susto nos acréscimos: João Carlos arriscou de longe e por muito pouco não empatou o jogo para o Granadeiro. E, passado o susto, o jogo terminou com a vitória do América por 2 a 1.
Encerrada a peleja, o América, que começou bem no campeonato, mas vinha de duas derrotas, se reabilitou e conseguiu a classificação à segunda fase, junto com o Globo. O Galícia se despede da competição, mas, apesar das quatro derrotas nas quatro primeiras partidas, deixa uma boa impressão na reta final, ao bater o Globo e fazer um grande jogo contra o América. O Mequinha segue sonhando, mas as duas equipes merecem cumprimentos por resgatarem sua tradição do passado e fazer boas campanhas em 2016.
Encerrada a partida, hora de jantar, e voltar ao hotel para descansar, e acordar cedinho na segunda-feira para viajar. E fica o registro de que o time do Galícia viajou no mesmo voo que eu.

3 comentários:

denilson bf disse...

Boa análise da partida gostei muito bom.

Raul Martins Dias disse...

Obrigado pelo comentário e pela visita, Denilson.

Mariana da Motta disse...

Mequinha rules!